18 de outubro de 2011

Dependemos realmente de Deus?





Muito se fala em sustentabilidade atualmente, mas neste artigo vou empregá-lo sob uma outra ótica com o intuito de construir ou despertar uma consciência, que parece estar adormecida. 

• A humanidade se encontra perdida num mundo cujo o diabo é o governante.
• As pessoas, entregues ao pecado, constituem o seu reino neste mundo. 
• Jesus veio buscar e salvar estas pessoas perdidas.
• Um vez salvas já não vivem para si mesmas, mas para o propósito pelo qual foram resgatadas do inferno.

Vamos lá. 
Jesus veio resgatar estas pessoas do domínio do diabo e assim convidá-las a abandonar este mundo de pecado. Pois bem, uma vez que aceitem o Seu convite estes, embora ainda permaneçam no mundo, devem viver em novidade de vida, não mais buscando saciar prazeres passageiros, mas sim, vivendo sob os princípios do reino que Jesus trouxe, onde tudo o que se pensa e se faz deve refletir para os propositos de uma eternidade com Deus. 



As velhas práticas devem ser abandonadas e esquecidas, como também devemos nos afastar de todo e qualquer vínculo com os padrões corrompidos que regem este mundo. Embora esta seja uma maneira simplificada de se entender o plano de salvação, muitos cristãos não tem a mínima noção sobre a profundidade de tudo isso. 


Por exemplo, a razão do batismo, do nascer de novo é costumeiramente tida como algo meramente simbólico que representa qualquer coisa espiritual, enquanto que poucos, com este ato, verdadeiramente sepultaram o velho homem. Na verdade o que fizeram foi abraçar um certo credo religioso e consequentemente um cristianismo conveniente. 


Mas o propósito do batismo bíblico vai muito além. Quando um pecador se arrepende e nasce de novo, há grande festa nos céus, da mesma forma  quando pais e familiares celebram ao contemplar o nascimento de um pequeno bebê. Há muitas coisas semelhantes nestes dois nascimentos, mas uma das diferenças é que um está nascendo para o mundo, enquanto o outro está renascendo para Deus, no entanto ambos vieram a luz e deram início a sua formação de caráter pessoal. 


Hoje vemos adolecentes e jovens completamente absorvidos pelos padrões deste mundo. Muitos deles são filhos de pais cristãos, mas que falharam em ensinar o caminho em que eles deveriam andar, então o diabo assumiu a responsabilidade aproveitando a oportunidade para guiá-los pelo caminho largo. 

A questão é simples, pais que não se sujeitam a viver na dependencia de Deus, jamais conseguirão instruir seus filhos no caminho em que eles devem andar, logo é bem aqui que chegamos ao ponto x deste artigo. 



Como podemos dizer que nascemos de novo, que vivemos em novidade de vida, que aceitamos o convite de Jesus para fazer parte do Seu reino, se ainda continuamos a ser mais um dente na imensa engrenagem deste sistema mundano? 
Você está confuso(a)? Não está conseguindo entender aonde eu quero chegar? Tudo bem, vou te ajudar, apenas responda para si mesmo(a) as seguintes perguntas:


• Você lembra que quando Jesus te convidou para o Seu reino, Ele disse que você não precisaria mais se preocupar com o amanhã, porque o amanhã não te pertence? 
• Que Ele disse para você não se preocupar com o que comer ou vestir, pois Ele cuidaria de tudo e jamais lhe deixaria sem o pão de cada dia?
• Que Ele disse para você se acomodar as coisas simples e buscar o reino dEle em primeiro lugar?

Depois das tuas respostas, se você for sincero(a), perceberá que o seu cristianismo é no mínimo questionável.  Ao nos batizarmos,  talvez não nos vimos como Deus gostaria, ou seja, como uma pequena criança indefesa que acabara de nascer e que necessita de todos os Seus cuidados, pois depende dEle em tudo, pelo contrário, é bem provavel que nós nos submetemos ao novo nascimento por mera conveniência (querer ir pro céu), pois não há desculpa para alguém que diz desejar o céu continuar amando este mundo e suas concupiciências. 


Alguns se conformam em abandonar apenas duas ou três coisas do velho homem se esquecendo de que Jesus deixou claro que é tudo ou nada. Os mais ou menos, os meio termo, os vacilantes, os mornos serão vomitados e não entrarão no seu reino.
Não é assim? Em que se baseia o nosso cristianismo, ou em que achamos que depende de Deus, se o nosso tempo é completamente gasto em função de nossas próprias vaidades? 


Onde estiver o nosso coração ali estará também o nosso tesouro! 


Diga para você mesmo, você abandonaria o conforto da sua casa, seu carro, seus familiares para realmente consumir seus dias em pról do reino de Deus? Se a sua resposta foi não, então eu já sei qual será a sua resposta para a próxima pergunta. 


Aí vai... Você abandonaria o conforto da sua casa, seu carro, seus familiares para aceitar uma promoção da sua empresa, com um salário cinco vezes maior, só por um período de um ano em uma cidade há dois mil quilômetros distante? Talvez você diga: Por apenas um ano, tal sacrifício pode ser válido. É? Pois é, mas e quanto ao amanhã que não te pertence? Estarás vivo amanhã? Quando terminar de ajuntar todo este dinheiro no seu enorme celeiro e subitamente você se deparar com a morte, pensa que terás um bom discurso em sua defesa quando estiver diante dEle? Não meu irmão, poderás até chamar de Senhor o Advogado Fiel, mas Ele certamente dirá para te tirarem da presença do Juiz, pois Ele não lembrará de ti.


Neste mundo, para este mundo, pessoas se sacrificam para ter uma vida passageira melhor, mas no reino de Deus, pessoas que realmente nasceram de novo andam pelo caminho estreito, se for necessário se privam de tudo e seguem buscando primeiro o reino de Deus, pois o sacrifício já foi feito por aquele que os resgatou, logo, já não vivem para si mesmos. 

(Obs.: Não estou fazendo apologia a não trabalhar. Há muitas formas de buscarmos nosso sustento sob plena dependência de Deus sem nos submetermos a escravidão e aos padrões deste mundo, a questão é que poucos são os que estão satisfeitos em viver com o pão diário e toda a palavra que sai da boca de Deus.)

O princípio é simples, se busco o reino de Deus em primeiro lugar, Deus cuidará das minhas necessidades (não de minhas vaidades). Porém se não quero me acomodar as coisas simples, terei que priorizar outras coisas e o reino de Deus já não estará no topo da minha lista, isso é inevitável! 


Você pode dizer que não há problema em querer trabalhar para se ter algum conforto e confesso que hoje não estou certa se concordo com isso, pois uma coisa é buscar o que eu quero simplesmente porque minha carne dita o que eu preciso, outra coisa é buscar o que Deus DISSE PARA EU BUSCAR porque tenho prazer em corresponder com o Seu amor.

Quero deixar claro que o que estou escrerevendo nada mais é do que o resultado, primeiro, do meu crescente inconformismo com este mundo, e segundo, por minha atual insatisfação com meu cristianismo. Sendo assim, estou aberta as mudanças que precisam ser feitas em minha vida, tudo o que eu quero é, ser a criança que Jesus disse que eu deveria ser para entrar no Seu reino, confiar e depender dEle.

É desconcertante ver a igreja se moldando ao mundo para que o pecador se sinta em casa e acredite que é salvo. Como o próprio Jesus declarou "Estão tornando-os duas vezes filhos do inferno!". (Mateus 23:15)

Para encerrar, não existe cristão autossustentável! Ou dependemos dEle, ou Ele não é o nosso Senhor. Como sempre, a escolha é nossa.
 Que possamos fazer a melhor escolha.

0 comentários :

"Amada, o nosso bom testemunho de vida cristã começa dentro do nosso lar".
QUAL O PAPEL DO MARIDO E DA MULHER DENTRO DO LAR?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...