19 de março de 2012

A mulher e a hospitalidade

 


Uma das principais características dos cristãos é a hospitalidade, e em virtude disso não acredito que seja possível nos considerarmos cristãos enquanto negligenciamos, ou pouco nos sujeitamos ao aperfeiçoamento deste atributo em nós. 


A verdade é que a hospitalidade é para a igreja o mesmo que o sangue é para o coração, se não houver sangue não haverá a mínima possibilidade do coração exercer sua função com excelência. 


Eu mesma e minha família já fomos hospedados na casa de irmãos, e até mesmo de desconhecidos  enquanto realizávamos a obra de Deus  em suas cidades, e na maioria das vezes  nos sentimos parte da família daquelas pessoas, embora na maioria das vezes nunca os tivessemos visto antes. 


Foram poucos os lugares onde poderíamos dizer que não fomos muito bem acolhidos.


Ao longo da bíblia somos ensinados a zelar por esta virtude, mas precisamos estar conscientes de que não se trata de uma mera atitude religiosa, como se fossemos obrigados por um tipo de lei, devemos sim, em amor, oferecer hospitalidade, principalmente nos dias de hoje, quando o individualismo está tão predominante, e os muros que separam as casas estão cada vez mais altos. 


Pedro escreve em sua primeira carta no capítulo quatro, versículo nove, o seguinte: 


“Sede hospitaleiros uns para com os outros, sem murmuração”
A expressão “sem murmuração” esclarece claramente que tal atitude não deve ser manifesta de forma hipócrita, mas sim com prazer e disposição em servir, logo seria correto dizer que a hospitalidade é tanto o doar a si mesmo, quanto o colocar seus recursos a disposição de outros, e penso que este segundo ponto seja o maior impedimento para que hoje muitos cristãos deixem de ser hospitaleiros, e isso choca profundamente com as atitudes do próprio Jesus que jamais omitiu algo se si mesmo em prol do servir aos outros, sendo assim, como cristãos, devemos saber que oferecer hospitalidade talvez seja a forma mais prática de demonstrarmos amor e além do mais, exercer hospitalidade, contribui diretamente com a verdade na qual fundamentamos nossa fé. 


Nós mulheres de Deus, por exemplo: Se recebemos alguém em nossas casas, devemos dar a essa pessoa, ou pessoas o melhor de nós, e também o melhor que temos em casa, ou seja, o melhor lençol, a melhor cama, o melhor alimento, e etc...


Em l Timóteo 5:9-10, está escrito à respeito das viúvas da igreja:


"Nunca seja inscrita viúva com menos de sessenta anos, e só a que tenha sido mulher de um só marido;
Tendo testemunho de boas obras: Se criou os filhos, se exercitou hospitalidade, se lavou os pés aos santos, se socorreu os aflitos, se praticou toda a boa obra". 



Então podemos ver que só era considerada verdadeiramente viúva na igreja do Senhor Jesus, aquela que dentre outras boas obras, praticava a hospitalidade.

Em Mateus 25:35, encontramos que ao servir aos outros e ao, por exemplo,  oferecermos pouso a desabrigados, é como se  estivéssemos fazendo diretamente ao Senhor. 


"Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me" 
 

Em Romanos 12:13, Paulo nos instrui a compartilharmos os que temos com nossos irmãos em suas necessidades, e seguirmos a hospitalidade.
"Comunicai com os santos nas suas necessidades, segui a hospitalidade". 


 E em Hebreus 13:2, somos mais uma vez alertados a não nos esquecermos da hospitalidade.
"Não vos esqueçais da hospitalidade, porque por ela alguns, não o sabendo, hospedaram anjos". 


Se dermos a devida atenção a estes textos saberemos que qualquer um que se preocupa com estas coisas demonstra estar disposto realmente a morrer para que Cristo viva nele. É exatamente para isso que estamos aqui, para impactar o mundo através de uma vida vivida debaixo de princípios e atitudes que aprendemos com o nosso Mestre, com o único objetivo de que Ele seja conhecido por todos estes, que mergulhados em egoísmo, aguardam a manifestação dos filhos de Deus.


Creio que foi através deste e de muitos outros princípios vividos pela igreja primitiva o que possibilitou que milhares de pessoas fossem atraídos para o evangelho de Jesus naqueles dias, e hoje como igreja precisamos resgatar isso. 


Quando lemos o livro de Atos e vemos aqueles irmãos tendo tudo em comum, partindo o pão de casa em casa e Deus acrescentando diariamente novos irmãos àquela grande família, não há como deixarmos de desejar estas coisas, por isso, a igreja precisa voltar a ser identificada em meio as famílias, no contexto de suas próprias casas, onde a vida naturalmente acontece. 


Que possamos usar nossas casas, como um lugar de acolhimento de amor. 
Lembre-se que a bíblia diz que muitos por se dedicarem a hospitalidade, sem saber hospedaram anjos, então fique atento e não perca mais estas oportunidades preciosas, pois é um privilégio recebemos alguém, principalmente nossos irmãos em nossas casas.
Fique atento:  Alguém pode bater em sua porta ainda hoje.


Que Deus te abençoe, em Cristo Jesus, nosso Senhor.

0 comentários :

"Amada, o nosso bom testemunho de vida cristã começa dentro do nosso lar".
QUAL O PAPEL DO MARIDO E DA MULHER DENTRO DO LAR?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...